ARTE CONTEMPORÂNEA, PINTURA, FOTOGRAFIA, PERFORMANCE, ESCULTURA, VÍDEO, DANÇA, GÊNERO; CONTEMPORARY ART, PAINTING, PHOTOGRAPHY, SCULPTURE, VIDEO, DANCE, GENDER ISSUES

Paralelo 31

Paralelo 31, revista digital do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Universidade Federal de Pelotas, apresenta-se como uma publicação científica especializada  na área de Artes Visuais de acesso publico e gratuito.  Propõe um foco ampliado de abordagem neste campo, buscando favorecer o debate cultural acerca da produção artística no contexto contemporâneo e o ensino da arte em consonância com a diversidade atual desta produção. Paralelo 31, a digital journal of the Postgraduate Program in Visual Arts of the Federal University of Pelotas, Pelotas, RS, Brazil, is a specialized scientific publication in the area of Visual Art with free public access. It proposes an extended approach to research in the field of art, seeking to promote cultural debate about contemporary art production and art education in consonance with the current diversity of this production.


Temos o prazer de apresentar em nossa edição 16, volume 1, com o Dossiê: Arte e Meio Ambiente - SIEA IV, com textos, ensaios visuais e um catálogo de exposição - produções que integram nas ações do evento de pesquisa internacional Seminário de Ensino da Arte - IV SIEA do Centro de Artes da Universidade Federal de Pelotas, que inclui artigos de pesquisadores do Brasil, Venezuela e Colômbia. 

 

Notícias

 

AVISO: CONVOCATORIO PARA SUBMISSÕES EDIÇÃO 19 PARALELO 31

 

SUBMISSÕES ABERTAS para a edição 19 da revista Paralelo 31:

Lembramos que a revista recebe submissões de artigos inéditos em fluxo contínua. Atualmente, não temos um tema específico para os artigos da edição 19.  

Recebemos também, em fluxo contínua, propostas de ensaio visual, resenhas criticas de exposições e livros, bem como traduções (versão em português de artigos previamente publicados em sua língua original). 

Aceitamos submissões para a edição 19 até 20 de maio de 2022.

 

Notamos que os autores de artigos devem ter doutorado e mestrandos podem enviar propostas de artigo junto com seus orientadores. 

 

Observação: Aceitamos também artigos inéditos em sua língua original. Não é necessário traduzir artigos inéditos que estão em espanhol para português! Publicamos textos críticos originais em portugues e espanhol.  

 
Publicado: 2022-03-25
 

AVISO: .

 
.  
Publicado: 2022-02-11
 

AVISO: Edição 17 da revista Paralelo 31

 
Convidamos sua apreciação de nossa edição 17 da revista PARALELO 31, com o dossiê WebNário PPGAVI CONVIDA. 

 

 
Publicado: 2022-03-25
 

Edição 16 Paralelo 31

 

 

Visita nossas edições anteriores!

 

 
Publicado: 2022-01-01
 

AVISO: Convocatório: DIVERSIDADES/ADVERSIDADES NAS ARTES prorrogação 10 junho 2021

 

 

CHAMADA ABERTA:

 

SUBMISSSÃO DIRETA NO PORTAL DA UFPEL/PARALELO 31-  revista do Programa de Pós-Graduação em Artes -Mestrado. HTTPS://PERIODICOS.UFPEL.EDU.BR/OJS2/INDEX.PHP/PARALELO/INFORMATION/AUTHORS

Convocatório: submissão até 31 maio 2021>>>prorrogada até 10 de junho 

  

Diversidades/Adversidades nas Artes

 

Chamada aberta aos artigos sobre processos criativos em poéticas visuais, processos educativos de ensino das artes e ações da crítica da arte na contemporaneidade em torno do tema Diversidades / Adversidades nas Artes. 

A noção de diversidades foi um ponto de partida, interpretada de forma aberta e no plural, para se indagar sobre algumas  características das artes, as quais se aproximam das de outras áreas de pesquisa em muitos respeitos; entretanto, me parece que as artes têm uma qualidade muito diferente das outras áreas em termos dos modos, meios e táticas usados para se diversificarem, brotando uma pletora de possibilidades, variedades e variações nos modos de fazer e reinventar a si mesmas.

Inicialmente, este processo de transformação foi lento, ao longo da história mas, mais recentemente, surge uma grande quantidade de alterações e descobertas desde os anos sessenta/pós-segunda guerra. É tão singular, como as artes parecem estar num processo de constantemente expandir seu(s) campo(s) de atuação  e multiplicar os modos de experimentar e propor formas poéticas. Este processo emergente dos devires das artes, radicais ou sutis, também sugere processos simultâneos da superação de adversidades.     

O tema subdivide a pluralidade de sentidos do termo diversidades: por exemplo, poderia pensar a riqueza de variação das artes, no sentido de suas fusões, conjuntos e amálgamas de meios, técnicas e materiais mistos, suas misturas, as táticas contemporâneas de colagem e assemblagem, seus entremeios, suas intermídias, suas formas híbridas e mestiçagens [e se ainda se for possível, podemos repensar o termo datado ‘contaminações’] nas artes da contemporaneidade.

A palavra “diversidades” me levou a pensar sobre as artes e sua capacidade de potencializar encontros  e transbordamentos das áreas de conhecimento, talvez, sua indisciplinariedade. Quantas propostas são possíveis entre as artes visuais e a dança, vídeo, fotografia e performance, entre a poesia verbal e visual, o design e o teatro, a música, as artes sonoras e suas paisagens, e as  linguagens digitais, objetuais, dialógicas e corporais, bem como entre as artes e ciência, biologia, e assim por diante?  

As combinações infindáveis das propostas poéticas e do ensino das artes também englobam a transversalidade e os deslocamentos do/da artista e de sua vontade de explorar e recombinar muitas áreas de conhecimento, ou talvez, para o artista, tais áreas 'distintas' sempre foi uma potência de seu campo sem fronteiras (ao menos na visão de um/uma sonhador/a).

Por outro lado, a diversidade nas artes também possa ser relacionada às pessoas.  Por exemplo, artistas e educadores de países diferentes trabalham juntos.  E se o/a autor/a queira pensar na palavra, no singular, "a diversidade" das pessoas nas artes, talvez seja um momento para apropriar-se deste espaço para criticar a noção em si, termo ainda em uso hoje, que serve aqui como isca para provocar debate.  

Ao pensar neste tema de diversidades -  cheguei a outras palavras pertinentes, talvez mais adequadas, como -variedades, diferenças, divergências – e considerei também: 

Qual é a potência daquilo que difere que produz a diferença? 

Quais condições produzem as diferenças nas artes? 

capacidade incomum das artes constituírem um meio complexo onde as pessoas e os grupos operam seus modos singulares de ver a  arte e a vida, questionando aspectos da contemporaneidade, da sociedade e as possibilidades das artes em si me parece parte da resposta.

Pois, dessa variabilidade, dessa capacidade de produzir diferenças e divergencias somadas à possibilidade de coexistirem muitos olhares - de artistas-professores-teóricos -  emergem as ferramentas de empoderamento, mudança e gestos de ampliar os contextos de atuação do/da artista e apagar limites.

Ao explorar as possibilidades deste tema, não podia pensar em suas diversidades sem considerar as experiências de adversidade que artistas-pesquisadores-educadores enfrentam na atualidade, não somente em relação à pandemia, mas talvez esta ruptura do fluxo cotidiano (e de sua suposta normalidade) foi o que tornou mais visíveis as adversidades que enfrentamos em nossa área e no cotidiano, ao viver, fazer e ensinar as artes.   

      As diversidades/ adversidades acompanham os contextos das artes. Se a diferença é a semente que espalha, a potência e desejo para ampliar os espaços de atuação, a adversidade se revela como tensão oposta.  Evocamos as palavras do artista brasileiro Hélio Fervenza e seu livro o + é deserto (São Paulo: Escrituras, 2003, p. 49) que reflete sobre o  'deserto' como ‘espaço de adversidade’; e este espaço me parece familiar, quando o artista-pesquisador escreve em sua prosa:

 

 vivemos em espaços de grande adversidade

onde são produzidos vazios a todo instante.

Vazios econômicos, por exemplo. Mas também

vazios produzidos por excessos como o vazio

provocado pela acumulação de imagens [...]

no meio dessa adversidade, entretanto,

pode surgir algo. Impulsionado pelo

não-sentido da situação 

 

 

 - As editoras, Paralelo 31-revista do Programa de Pós-graduação em Artes Visuais da Universidade Federal de Pelotas

 

paralelo31@ufpel.edu.br

ACESSE: HTTPS://PERIODICOS.UFPEL.EDU.BR/OJS2/INDEX.PHP/PARALELO/INFORMATION/AUTHORS

 

 

 
Publicado: 2021-03-23
 

AVISO: CONVITE PARA ASSISTIR O LANCAMENTO GRAVADO - "MAKING OF DOSSIÊ DELEUZE" - FOI DIA 3 de maio 2021

 

As editoras têm o prazer de apresentar:

LANÇAMENTO DO DOSSIÊ DELEUZE: Modos de Usar  da edição 15 da PARALELO 31 - revista do Programa de Pós-graduação em Artes Visuais da UFPel, que ocorreu no dia 3 de maio de 2021. 

O evento está disponível no canal de YouTube CONEXÂO ARTE do Centro de Artes da UFPel 

https://www.youtube.com/watch?v=lhEEgic3Cdg&t=1804s

O Dossiê Deleuze  foi organizado pelos professores Édio Raniere da UFPel e  Eduardo Pacheco da UERGS.

QUANDO?: aconteceu às 19h00min, dia 3 de maio de 2021

ONDE?: A versão gravada do evento está no canal de YouTube CONEXÃO ARTE do Centro de Artes da UFPel, acesse: 

https://www.youtube.com/watch?v=lhEEgic3Cdg

ou

https://www.youtube.com/watch?v=lhEEgic3Cdg&t=1804s

 Ver nosso teaser em: https://wp.ufpel.edu.br/mestradoartesvisuais/2021/04/30/edicao-15-da-revista-paralelo-31-ppgavi-ufpel/

 

 
Publicado: 2021-03-02
 

AVISO: NOVO EMAIL DA REVSTA PARALELO 31

 

Avisamos que a revista Paralelo 31 está com um novo e-mail instituciona: 

 

paralelo31@ufpel.edu.br

                     A editora, 2020 

 

 

 

 
Publicado: 2020-11-16
 

RECEBEMOS SUBMISSÕES DE ARTIGOS EM FLUXO CONTÍNUO

 
A revista Paralelo 31 aceita artigos em fluxo continuo, bem como ensaios verbais e visuais e resenhas.  
Publicado: 2020-09-30
 

Chamadas 2020 Paralelo 31

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Publicado: 2020-05-13
 

Edição 13 – Dossiê: Arte Contemporânea: Entre linguagens de afeto e sensibilidades do cotidiano (2019/02) - 30 setembro de 2019

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Publicado: 2019-02-18
 
Outras notícias...

PARALELO 31 - ED. 17 - dezembro 2021


Capa da revista