GRUPOS PRETÉRITOS NA PAISAGEM DO SÍTIO ILHA SANTO ANTÔNIO: PERCEPÇÃO A PARTIR DOS VESTÍGIOS ARQUEOBOTÂNICOS

Emanuella da Costa Oliveira, Juliana Rossato Santi

Resumo


Os estudos arqueobotânicos na Amazônia têm demonstrado resultados interessantes no que diz respeito à relação do ser humano e a paisagem. Nesse sentido, apresentaremos aqui alguns resultados relacionados a percepções sobre modificações na paisagem pretérita causados pelas populações que habitaram o sítio arqueológico Ilha de Santo Antônio no município de Porto Velho, Rondônia. Este sítio situado em uma ilha na cachoeira homônima inserida na região do alto rio Madeira, RO com datação holocênica de 7.740 ± 50 AP e mais recente relacionada aos povos da Tradição Policroma da Amazônia datados em 990 ± 40 AP. Analisou-se o vestígio arqueológico botânico, em específico as sementes, advindo de três setores escavados do sítio.

 

Absctract: The archaeobotanical studies in the Amazônia have shown interesting results regarding the relation of the human being and the landscape. In this sense, we will present here some results related to perceptions about modifications in the past landscape caused by the populations that inhabited the archaeological site of Santo Antônio island in the municipality of Porto Velho, Rondônia. This site, as the name says, is situated on an island in the same waterfall in the region of upper Madeira, RO with a pleistocene dating of 7,740 ± 50 AP and more recent related to the people of the polychrome tradition of the Amazon dating to 990 ± 40 AP. The botanical archaeological vestige was analyzed, specifically the seeds, coming from three sectors excavated from the site. The data points to a different landscape in times past compared to the current scenario in which the site was located.


Palavras-chave


Amazônia, Arqueobotânica, Rondônia, Alto Madeira

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRYANWS, I. A. M. “Tá osso!” Zooarqueologia nos sítios arqueológicos Teotônio e Garbin no Rio Madeira, RO. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arqueologia) Fundação Universidade Federal de Rondônia/UNIR, Porto Velho, 2016.

CLEMENT, C. R. Domesticação de paisagens e plantas amazônicas: A interação de etnobotânica, genética molecular e arqueologia. In: Morcote-Rios, Gaspar; Mora-Camargo, Santiago; Franky-Calvo, Carlos. (Org.). Pueblos y paisajes antiguos de la selva amazónica. Bogotá: Univ. Nacional de Colombia, Facultad de Ciencias, Taraxacum, v., p. 97-112, 2006.

DENEVAN, W. A bluff model of riverine settlement in prehistoric Amazonia. Annals of the association of American geographers, v.86, n°4, pp.654-681, 1996.

NISINGA, L. C. “CECI N´EST PAS UNÊ ÍLÊ”: Paisagens arqueológicas da Ilha de Santo Antônio, RO. Dissertação (mestrado) – Programa de pós-graduação em geografia, Fundação Universidade Federal de Rondônia,2018.

KERN, D.C. et al. As terras pretas de índios na Amazônia: evolução do conhecimento em terra preta de índio. In: Teixeira, W. G. et al. As terras pretas de índio da Amazônia: sua caracterização e uso deste conhecimento na criação de novas áreas. Manaus: Embrapa Amazônia Ocidental, pp.72-81, 2009.

MILLER, E.T. Inventário arqueológico da bacia e sub-bacias do rio Madeira – 1974-1987. Consórcio Nacional de Engenheiros Construtores S.A. 1987.

MILER, E. T. Adaptação Agrícola Pré-Histórica no Alto Rio Madeira. In Prehistoria Sudamericana: nuevas perspectivas. Meggers, B. J. (ed.), Taraxacum- Washighton. 1992b.

MILLER, E.T. A limitação ambiental como barreira à transposição do período formativo no Brasil. Tecnologia, produção de alimentos e formação de aldeias no sudoeste da Amazônia. In: Ledergerber-Crespo, P. (Ed.) Formativo Sudamericano, una revaluación. Ediciones Abya-Yala, Quito- Equador, 1999.

OLIVEIRA, E.C. Processo de formação do sítio Ilha de Santo Antônio. Projeto do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Cientifica – PIBIC, Universidade Federal de Rondônia, 2012-2013

OLIVEIRA, E.C. Grupos pretéritos na paisagem da Ilha Santo Antônio: percepção a partir dos vestígios arqueobotânicos. Projeto de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do curso de Bacharelado em Arqueologia da Universidade Federal de Rondônia, 2015.

PEARSALL, D. M. Paleoethnobotany: a handbook of procedures. 2nd edition. San Diego: Academic Press, 2000.

PESSOA, C. G. S. Os contextos arqueológicos e a variabilidade artefatual da ocupação Jatuarana no alto Rio Madeira. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Pará, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de pós-graduação em antropologia, Belém, 2015.

SANTI, J. R. O passado no presente: vestígios pré-coloniais como suporte analítico da paisagem no Vale do Soturno, RS. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Arqueologia, Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

SCIENTIA CONSULTORIA CIENTÍFICA. Projeto de Arqueologia preventiva nas áreas de intervenção do AHE Santo Antônio, RO. São Paulo, 2008.

SCHEEL-YBERT, R. et al. Proposta de amostragem padronizada para macrovestígios bioarqueológicos: antracologia, arqueobotânica, zooarqueologia. Rev. do Museu de Arqueologia e Etnologia. São Paulo, v.15-16, pp.139-163, 2005-2006.

SCHIFFER, M. B. Archaeological context and systemic context. American Antiquity. 37 (2): p. 156-165, 1972.

SILVA, F. M. Paleoetnobotânica na Amazônia Central: Um estudo dos macrovestígios vegetais de três sítios arqueológicos. Rio de Janeiro: UFRJ/MN, 2012.

SKIBO, J. & SCHIFFER, M.B. _The Explanation of Artifact Variability. American Antiquity, v. 62, n. 1, p. 27-50, 1997.

TIZUKA, M. M. Geoarqueologia e Paleoidrologia da Planície Aluvial Holocênica do Alto rio Madeira entre Porto Velho e Abunã-RO. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual Paulista – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Campus de Rio Claro. São Paulo, 2013.

TROMBETA, L. L. Feições: Vestígios antrópicos na Amazônia central. Relatório final de iniciação cientifica/PIBIC, Museu de arqueologia e Etnologia- Universidade de São Paulo: São Paulo, 2011.

VASSOLER, O. J. P. Análise da iconografia em vasilhas cerâmicas da Subtradição Jatuarana: Tradição Polícroma da Amazônia - no alto rio Madeira, Rondônia. Projeto de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do curso de Bacharelado em Arqueologia da Universidade Federal de Rondônia, 2014.

WOODS, W. I. Development of anthrosol research. In: LEHMANN, J.; KERN, D. C.; GLASER, B.; WOODS, W. I. (Eds.). Amazonian Dark Earths: origin, properties, management. Boston: Kluwer Academic Publishers, 2003.

WOODS, W. Os solos e as ciências humanas: interpretação do passado. In: TEXEIRA, W.G. et al. As terras pretas de índio da Amazônia: sua caracterização e uso deste conhecimento a criação de novas áreas. Manaus: Embrapa Amazônia Ocidental, PP.62-71, 2009.

YBERT, J.P.; SCHEEL, R.; GASPAR, M.D. Descrição de alguns instrumentos simples utilizados para a coleta e concentração de elementos fósseis de pequenas dimensões de origem arqueológica ou pedológica. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, v. 7, p. 181-189, 1997.

Watling J, Shock MP, Mongelo GZ, Almeida FO, Kater T, De Oliveira PE, et al. (2018) Direct archaeological evidence for Southwestern Amazonia as an early plant domestication and food production centre. PLoS ONE, 2018.

ZUSE, Silvana. Variabilidade cerâmica e diversidade cultural no Alto rio Madeira, Rondônia. Dissertação de Doutorado. Programa de Pós-graduação do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2014.

ZUSE, Silvana. Ocupações pré-coloniais e variabilidade cerâmica nos sítios arqueológicos do Alto rio Madeira, Rondônia. Memorial de Qualificação apresentado ao Programa de Pós-graduação do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.15210/lepaarq.v16i31.14612

 
Contador de visitas