A Área de Saúde da Mulher Negra: Considerações sobre Racismo Institucional

Sônia Beatriz dos Santos

Resumo


O artigo discute a área de saúde da mulher negra como uma estratégia e abordagem que se contrapõe ao racismo presente nas instituições de assistência a saúde, e que têm afetado diretamente as mulheres negras (e a população negra num sentido mais amplo). A organização da área é parte de um movimento alavancado por ativistas e profissionais negras(os) e suas organizações como um campo de conhecimento e intervenção social e política que propunha em meados do século XX, um novo modelo fundado numa perspectiva racial e de gênero, para pensar e atuar na assistência em saúde, demandar o direito à saúde da mulheres, e denunciar o racismo no sistema de saúde.

 

Abstract: The article discusses the area of Black women's health as a strategy and approach that opposes institutional racism in health care institutions, which have directly affected Black women (and the Black population in a broader sense). The organization of the area was part of a movement leveraged by Black activists and health professionals, and their organizations as a field of knowledge and social and political intervention that proposed in the mid-twentieth century a new model based on a racial and gender perspective to think and act in health care, to demand the women’s right to health, and denounce racism in the health system.

 


Palavras-chave


Saúde da mulher negra, Racismo Institucional, Gênero, Assistência em saúde

Texto completo:

PDF

Referências


AYRES, J. C. R. M. et al. O conceito de vulnerabilidade e as práticas de saúde: novas perspectivas e desafios. In: CZERESNIA, D.; FREITAS, C. M. de. Promoção da saúde: conceitos, reflexões, tendências. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2003. p. 117-140.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988. 140 p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de Apoio à Gestão Participativa. Política Nacional de Saúde Integral da População Negra: uma política para o SUS / Ministério da Saúde, Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa, Departamento de Apoio à Gestão Participativa. – 2. ed. – Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2013. 36 p. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_saude_integral_populacao.pdf. Acesso em: 8 setembro 2018.

COOK et al. The Stephen Lawrence Inquiry. Report of na Inquiry by Sir William Macpherson of Cluny. Advised by Tom Cook, the Right Reverend Dr. John Sentamu, Dr. Richard Stone. Presented to Parliament by the Secretary of State for the Home Department by Command of Her Majesty.

February 1999 ( Cm 4262-I ). Disponível em: https://assets.publishing.service.gov.uk/government/uploads/system/uploads/attachment_data/file/277111/4262.pdf. Acesso em: 29/12/2018.

DFID. Programa de Combate ao Racismo Institucional. Boletim Eletrônico Componente Saúde Nº 2 Março - Abril – 2005.

Geledés. Guia de Enfrentamento do Racismo Institucional. Realização: Geledés – Instituto da Mulher Negra; Coordenação: Geledés – Instituto da Mulher Negra e Cfemea – Centro Feminista de Estudos e Assessoria. Com o apoio do Fundo para a Igualdade de Gênero da ONU Mulheres, s/d.

Disponível em: http://www.onumulheres.org.br/wp-content/uploads/2013/12/Guia-de-enfrentamento-ao-racismo-institucional.pdf , Acesso em: 28/08/2017.

LOPES, Fernanda; WERNECK, Jurema. Saúde da população negra: da conceituação às políticas públicas de direito. In: WERNECK, Jurema. (Org.). Mulheres negras: um olhar sobre as lutas sociais e as políticas públicas no Brasil. Rio de Janeiro: Criola e Fundação Heinrich Böll, 2010. p. 5-23.

LOPES, Fernanda; QUINTILIANO, Rachel. Racismo institucional e o direito humano à saúde. Democracia Viva, 2007, n. 34, p. 8-16.

OLIVEIRA, Fátima. Oficinas mulher negra e saúde. Belo Horizonte: Mazza, 1998.

WERNECK, Jurema. Racismo institucional e saúde da população negra. Saude soc., São Paulo , v. 25, n. 3, p. 535-549, Sept. 2016 . Available from . access on 31 Dec. 2018.

WERNECK, Jurema. Saúde da Mulher Negra. Cadernos Criola. Rio de Janeiro: Ed. Criola. Apoio: Public Welfare Foundation e Bird, 2001.

______. Saúde da população negra: passo a passo, defesa, monitoramento e avaliação de políticas públicas. Rio de Janeiro: Criola e Fundação Heinrich Böll, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.15210/lepaarq.v16i31.14885

 
Contador de visitas