A gênese das Teorias Críticas do Currículo no contexto educacional brasileiro

Júlio César Apolinário Maia, Eulália Gonçalves Souza Oliveira, Michele Silva Sacardo

Resumo


O presente texto, cuja tipologia por delineamento assume caráter bibliográfico, tem por objetivo demarcar a emergência das Teorias Críticas do Currículo em solo brasileiro. Para tanto, adota, como ponto de partida, a criação dos programas de pós-graduação durante o Regime Militar, ocasião em que o caráter tecnicista, aliado aos campos educacional e curricular, abrandado pelas próprias cobiças da Ditadura Militar, sofre constantes retaliações. Aprofunda-se, durante a segunda seção, o direcionamento dado às críticas sobre o papel do currículo, em função da necessidade de sua articulação às relações políticas, econômicas e socioculturais, durante os primórdios da Nova República. A terceira seção aponta o florescimento das teorizações críticas acerca do currículo ainda sob a conjuntura da Nova República. O esforço de síntese evidencia como o currículo, no ínterim da década de 1980, consubstanciava tanto interesses de grupos conservadores, quanto de grupos progressistas, refletindo assim o embate travado entre ambos.


Palavras-chave


Teorias Críticas do Currículo; histórica do currículo; história da educação brasileira

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15210/caduc.v0i64.17672