Problematização e contraconduta na composição de um currículo do devir para o enfrentamento da distorção idade-série

Clarice Salete Traversini, Júlia Milani Reis, Renata Sperrhake

Resumo


Este artigo objetiva analisar os efeitos do currículo e da avaliação do Projeto de enfrentamento da distorção idade-série nos Anos Finais do Ensino Fundamental, no sul do Brasil, em tempos de Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Utilizamos as noções foucaultianas de problematização e de contraconduta e produzimos a empiria por meio de um grupo focal com professores de uma das escolas que iniciou o Projeto, em 2012. Como resultados, percebemos que, quando os docentes se afastam da "aplicação" da BNCC, construindo seus próprios currículos, e optam por avaliações que consideram o aluno na totalidade de seus aprendizados, operam com a problematização e exercem ações de contraconduta. Estas operações possibilitam compor um currículo do devir, deslocando os estudantes da posição de "distorcidos pela idade-série", isto é, de excluídos na escola, para construir posições de sujeitos-alunos aprendentes que seguem o fluxo escolar.


Palavras-chave


distorção idade-série; Base Nacional Comum Curricular; contraconduta.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15210/caduc.v0i62.19143